terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

ENTREVISTA: ANGELA CHAGAS









Angela Chagas, segundo lugar no PRIMEIRO FESTIVAL DE PRIMAVERA NO CAFÉ DAS LETRAS, realizado em setembro de 2009.
Abaixo, você conhece um pouco mais da escritora.











1. Quem é Angela Chagas?


Eu sou Angela Maria Chagas Araújo, funcionária publica aposentada, carioca e há 16 anos moradora de Niterói-RJ "Cidade Sorriso”. Reconhecida como a melhor em qualidade de vida.

Sou separada, tenho um casal de filhos que amo, e um cachorrinho lindo que foi me conquistando aos pouquinhos o “danadinho”...!

Estou em constante busca de aprendizado, com a natureza, com os filhos, com os amigos e principalmente com os livros e por isso, quando posso, leio sobre muitas coisas, inclusive sobre religiões.


2. Quando e como começou a carreira de escritora?


Desde pequena sempre gostei de escrever, sobre tudo o que sentia, mas por incrível que pareça a primeira poesia foi há quinze anos, quando o meu irmão caçula passava por sérios problemas de saúde.

E pela internet o contato com a escrita foi em 2006, quando comecei a participar de algumas comunidades.


3. Quais foram suas influências no início? E hoje, quem te influencia?


Tenho uma profunda admiração pelos poetas:

Clarice Lispector, Cecília Meireles, Cora Coralina, Flor Bela Espanca, Murilo Mendes, Oswald de Andrade, Cruz e Sousa entre outros. Mas sou apaixonada pelas obras de Fernando Pessoa, que me influencia até hoje.

Costumo dizer uma frase:

Quando a vida me trouxe a aflição, ressuscitou em mim a poesia

Retirando-me a agonia, alegrando o meu coração.


4. Como você vê a literatura da internet?


Vejo como uma ação de formação que procura atrelar o universo da literatura com o das novas tecnologias, com o objetivo de divulgar o que na Internet estão guardadas em bibliotecas virtuais, grandes obras-primas da literatura.

A internet queira ou não, é uma realidade para a literatura, sobretudo a fértil literatura que vem surgindo do teclado de novos escritores, muitos dos quais talentosos e com bom domínio da escrita e que, por varias razões não se aventuram pelo mercado editorial tradicional.


5. Qual o tema mais abordado em seus trabalhos?


Escrevo sobre vários temas, não há um tema principal no qual eu me dedique.

Depende do momento em que eu escrevo, do lugar e também de como estou me

sentindo.


6. O que está lendo no momento?


Clarice Lispector – Água Viva- li há um mês atrás.


7. Uma leitura que você recomenda.


Eu recomendo Clarice Lispector – a meu ver a escrita de Clarice, situa-se numa confluência de paradigmas, ou seja, por sua perspectiva estilista pessoal cria-se um entrelaçamento entre a realidade e a realidade adivinhada.

Clarice produz uma poética que lhe é própria em seus escritos. E em Água Viva percebe-se um denso e lindo poema em prosa.


8. Tem trabalhos publicados? Quais são eles?


Sim tenho algumas poesias... São elas:

1. Um Novo Clarão

2. Soneto Para Dorival

3. Oceano De prazer

4. Mãos

5. Poesia À Flor Da Pele


9. Fale sobre o seu processo de criação, como ele acontece? Quais seus projetos para o futuro?


A poesia em mim às vezes me surpreende, pois nem sempre ela nasce em lugares muito propícios. No inicio eu ficava meio perdida, mas hoje procuro andar prevenida, carrego sempre papel e caneta onde quer que eu vá e me coloco a sua disposição.

Quando era bem menina, quase não falava, mesmo que algo me incomodasse muito não colocava pra fora, engolia tudo inclusive as alegrias... Sempre gostei muito de ler e escrever, às vezes eu fazia um resumo das leituras que fazia e isso era um jeito de conversar comigo mesma, então comecei a escrever também tudo o que sentia e daí foi nascendo as minhas poesias. Houve um período em que parei de escrever, pois comecei a trabalhar muito cedo aos 12 anos e já não sobrava mais tempo para as leituras e também para as poesias. Mas a vida às vezes nos reserva muitas surpresas não é mesmo? E quando um dos meus irmãos passava por um momento muito depressivo, escrevi uma poesia intitulada “Sinfonia da Natureza” e lhe dei de presente.

Em relação a minha criação, devo dizer que ela chega às vezes de repente, conversando com alguém, ouvindo uma música, uma frase, um olhar, um sorriso recebido, apreciando o sol, a chuva, o vento, o luar, o mar... Enfim, a natureza com certeza me seduz, às vezes estou no ônibus, na barca, depende muito, às vezes ela surge apenas observando uma pessoa como um sopro, com dores e também alegrias.

Tenho muitos projetos em mente e um deles é escrever um livro solo, mas isso é para o futuro, deixemos acontecer... Por enquanto continuo participando das comunidades na Internet.


10. Um Sonho


Ver meus filhos bem encaminhados na vida, acreditando que sonhar vale à pena,

mas saber arriscar e ter responsabilidade no objetivo escolhido é o melhor processo da vida.


11. Uma realização alcançada


Tenho várias:

Uma família abençoada graças a Deus, amigos sinceros no virtual que se tornaram reais e a minha primeira participação em uma antologia em 2009.


12. Um arrependimento


Nenhum, mesmo porque sou humana e passível de erro mesmo quando quero acertar.


13. Você acha que o escritor é valorizado no Brasil? Por quê?


Bem, penso que a valorização vai depende de como o escritor é conhecido, e da importância de suas obras, ou seja, de que maneira ele colabora com a cultura brasileira, e de como está sendo entendido por seus leitores.


14. Atualmente, quais os entraves para publicação de um trabalho literário?


Acredito que o entrave principal para a publicação de um trabalho literário é o financeiro, tendo em vista que um escritor iniciante tem que custear a sua própria edição e ir à luta para divulgar o seu trabalho.


15. Considera seu trabalho pronto, ou ainda falta alguma coisa? O que?


Nossa, falta muita coisa ainda... Estou só começando, aprendendo com os grandes poetas, lendo, estudando com os grandes mestres... O que falta? Ah... Melhorar sempre!


16. Para você, qual a importância de ter participado do nosso festival, e sobre tudo ter sido uma das vencedoras?


Ter participado deste festival foi uma grande honra, pois tenho muito apreço por essa comunidade e pela pessoa que organizou esse evento. E ser uma das vencedoras foi uma enorme surpresa, já que tive a satisfação em compartilhar com poetas maravilhosos pelos quais tenho uma grande admiração.


17. Se te fosse dada a tarefa de escrever um livro, que seria distribuído em todas as escolas e universidades do mundo, para todos os alunos, com a intenção de ensinar às crianças e aos jovens o cantinho da felicidade, que tema você escolheria? Qual seria a mensagem central do seu livro?


A minha mensagem seria sobre a auto-aceitação e aceitação do outro, pois somos pessoas com idéias diferentes.


Niterói, 07 de fevereiro de 2010.

Angela Chagas



Agradeço à escritora pela delicadeza em nos proporcionar conhecer um pouco mais de si e de seu trabalho. Um grande abraço, e sucesso!

Monica San
Organizadora do blog Café das letras



5 comentários:

Mariano P. Sousa disse...

Angela minha amiga!
Venho parabenizá-la pela excelente entrevista concedias a todos nós do Cafè das Letras.
Magnífico conhecer mais um pouco de você poetisa.
Forte abraço!

Marô disse...

Parabéns Angela!Parabéns Mo e todo pessoal do Café que participou do concurso.

Sucesso!!!

Agela disse...

Mariano e Marô vocês são deliciosos, muito obrigada pelo carinho.

Agradeço também a Moniquinha pela oportunidade de participar desse maravilhoso evento.

Beijos no coração de todos!

Telma Moreira disse...

Angel...Doce!

Sempre é bom ler você...De todas as formas!

E já admiro tanto!

Parabéns, amiga!

Beijos e beijossssss!!!

Basilina disse...

Angela, maravilhosa sua entevista, transmite a serenidade e a segurança que vejo em você, além da sensibilidade que faz de você essa maravilhosa poeta em ascenção.
Foi um prazer e uma honra ter dividido com vc este destaque. Fica aqui meus parabéns e meu abraço.

Feliz novo ano!

Feliz novo ano!

Nossa mensagem de Natal

Nossa mensagem de Natal