terça-feira, 8 de abril de 2008

Atestado de óbito


"Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não tornar-se também um monstro.
Quando se olha muito tempo para um abismo, o abismo olha para você".
(Friedrich Nietzche)



E disseram-me que um dia
numa nuvem de luz
viria a calmaria,

assentar-se nos morros
de onde o mel em ondas,
como se mar fosse,
brotaria.

Me disseram também
perante juízo
que o universo era todo
intrínseco desejo
de amor reunido

E que sonhos
são lentes de aumento
do destino.

Ah! Disseram inverdades
e eu, louca, acreditei

Que a vida é bela,
que dezembros são flores
e que dores não ficam
como marcas do açoite
e da insensatez

E que amanhã será melhor
Porque na tempestade
singram mares,
os pássaros com suas dores,
para alcançarem a paz no sul

Mas a árvore do meu caminho já perdeu as folhas
e rogou a morte às suas raízes.
A partir de hoje,
ganhaste, sina
rendo aos teus caprichos
o meu antigo olhar azul

Não me terás mais como palhaça no espetáculo que assistes

Fartem-se os urubus.

Jessiely


3 comentários:

BLOG DO ZÉ ROBERTO disse...

Poesia forte aliada a uma imagem que a traduz muito bem. Gostei Jessielly, ficou muito legal sua poesia no blog. Beijos!

ﮭﮭﯓɱαгЇSﮭﮭﯓ disse...

Liiiiiiiiiiiiindo
é um dos poemas que mais amo!!!

Marô disse...

Que dizer....Lindo, muito lindo!!!

Feliz novo ano!

Feliz novo ano!

Nossa mensagem de Natal

Nossa mensagem de Natal