segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Soneto do Vento



















Soneto do Vento


Oh vento! Não conheço a tua imagem
Apenas entendo a tua linguagem
No verão passa e o som é silente
No inverno, furioso e veemente

No outono, eriça as folhas dormentes
Na primavera chega menos imprudente
Em qualquer tempo, serás tangente
E as birutas agradecem alegremente

Desce sereno até, os mais baixos vales
Ao topo das montanhas sobes grandioso
Impiedosas tempestades causas nos mares

E assim, abstrato, misterioso e impetuoso
Os dias seriam sem teus cantares
Opressos, sisudos sem teu ar precioso.

Diná Fernandes

Um comentário:

Blog Diná e amigos poetas disse...

Moniquinha,
Obrigada, fico por demais lisonjeada com teu gesto carinhoso, postar um texto meu no seu maravilhoso blog!

Bem montado sua pág!

Parabéns@

bjs!

Feliz novo ano!

Feliz novo ano!

Nossa mensagem de Natal

Nossa mensagem de Natal