quinta-feira, 31 de julho de 2008

Crise Verborrágica?


Não bastasse a evolução, ou senão dizer, revolução tecnológica que assola a humanidade, pregando valores vis. Temos ainda que receber pelas ventas, essa busca frenética e desenfreada, pela evolução científica, no que tange, por exemplo, a área da medicina. Clones, projeto genoma, células tronco... Promessas maravilhosas, milagrosas, quase que certas de curas para doenças letais.
Vivemos oprimidos, depressivos, nos tornamos verdadeiros prisioneiros do consumismo e alienação.
O mundo, é o de faz de contas. As buscas enfadonhas, pela beleza vazia e desmedida, pelos valores materiais, a prática do mercantilismo, o capitalismo selvagem e as questões ligadas ao egocentrismo são o foco das massas.
E o que dizer do sensacionalismo barato pregado a qualquer custo, da perda maciça de valores, onde até mesmo a morte é vista como dobrar a esquina para comprar um maço de cigarros?
Diante de tantos eventos ditos e tidos como importantes e necessários, seremos então todos dizimados por uma epidemia de dengue, reportando-nos a um passado longínquo, ocorrida na Idade Média, em meados do século XV, onde a peste negra matou aproximadamente 25 milhões de pessoas mundo à fora? Será um minúsculo e reles inseto o vilão que irá dizimar a espécie humana?
Ao refletir sobre nós os seres “humanos”, lembrei-me de três palavras: Humano, racional e irracional. São palavras, palavras estas que cada vez mais tenho a idéia de sinônimos. Há mesmo alguma diferença entre elas? Vida beira ao abismo! Vida louca! Mundo malévolo!
Livre arbítrio mal seguido. Doidivanas, vítimas do sistema? Droga! Merecemos os desalentos? É... Desta forma tenho mesmo que reforçar minha crença nas idéias niilistas.

José Ricardo Batista
24/05/2008

4 comentários:

Moniquinha disse...

Gosto muito de ler vc Ricardo...sempre nos fazendo refletir, pensar, inquietar um pouquinho mais. Muito bom.
beijos!

BLOG DO ZÉ ROBERTO disse...

Sábias palavras, bela reflexão meu amigo Ricardo! Tem coisas que as vezes me fazem raciocinar tb de uma forma inquietante. Gostei de sua crônica pois ela nos leva a pensar e isso é bom. Abraços amigo!

Marô disse...

Sempre um escritor fantástico...Muito bom...Parabéns!!!

Malu Sant'Anna disse...

Forte, contundente, muito real, verdadeiro. Um belíssimo texto. Uma reflexão necessária...

Feliz novo ano!

Feliz novo ano!

Nossa mensagem de Natal

Nossa mensagem de Natal